Resultados de Seleção

extensao-cultural

Texto

Lista dos cursos com resultados + pdf do resultado

Diálogos sobre a encenação contemporânea

O curso visa aprofundar a compreensão dos participantes sobre as ferramentas e estratégias próprias do trabalho da direção cênica no contexto da contemporaneidade teatral. Aprofundando na exposição de conceitos fundamentais desde um ponto de vista técnico e segundo diferentes perspectivas de trabalho possíveis.

Orientador: Juan Peralta

De 24 a 27 de outubro e de 07 a 10 de novembro
Das 19h30 às 21h30
Local: Cine Teatro Cuiabá - Av. Pres. Getúlio Vargas, 247 - Centro, Cuiabá - MT


Juan Sebastian Peralta é dramaturgo, diretor e artista convidado da MT Escola de Teatro. Formado como ator em Montevidéu, se especializou em dramaturgia na Argentina e direção teatral na França. Possui formação em filosofia e é mestre em teoria e historia do teatro, com especialização em gênero e artes cênicas.

Público
A partir de 18 anos, interessados em direção cênica.

Seleção
Preencher ficha de inscrição com dados, carta de interesse e breve currículo

Cronograma das inscrições:

Inscrições: 21 de setembro a 16 de outubro

Aprovados: 19 de outubro

Matricula online: 19 de outubro


Teatro e sociedade: cartografias de uma comunidade

O curso visa trabalhar a autonomia da comunidade através da arte, em especial com o teatro, por meio de jogos e estímulos que reforcem o espírito comunitário e suas sensibilidades e potencialidades artísticas.​

Orientador: Rui Miguel Germano – Rio Maior, Portugal.

De 18 a 22 de março de 2019
Segunda à sexta, das 18h30 às 21h30
Local: Sala Anderson Flores - Cine Teatro Cuiabá - Av. Pres. Getúlio Vargas, 247 - Centro, Cuiabá - MT


Rui Germano nasceu em Rio Maior/Portugal, em 1971 e desde muito cedo mostrou gosto pelo teatro e as artes cênicas. Em 1989 muda-se para Lisboa para estudar direito, iniciando-se simultaneamente nos estudos do teatro tendo frequentado e concluído vários cursos e oficinas. Influenciado pelo ambiente e cultura urbana que se vivia nos anos 90, Germano encontrou a liberdade necessária para encontrar uma linguagem própria o que lhe permitiu desenvolver um vasto trabalho em torno do conceito do teatro comunitário. Desde 2005 trabalha junto das mais diversas comunidades, desenvolvendo o espírito comunitário e sensibilizando a sociedade em geral para os seus problemas através do teatro.

Público
A partir de 18 anos, interessados em teatro

Seleção
Preencher ficha de inscrição com dados, carta de interesse e breve currículo

Cronograma das inscrições:

Inscrições: 28 de fevereiro a 14 de março

Aprovados: 15 de março

Matricula online: 16 de março


O ator na comédia circense

A cena circense é construída com bases em conceitos dramáticos pouco conhecidos e compreendidos nos dias de hoje. O ator circense caminha por linhas que definem a emoção da personagem, criam a dinâmica que se estabelece através da articulação entre a marcação, a triangulação e a atmosfera da cena. A personagem está ligada a uma tipologia que pede proximidade do temperamento artístico do ator (sistema de employs), por isso a necessidade de conhecer esse temperamento, pois ele determinará os papéis que este ator fará.

Orientador: Fernando Neves

De 28 a 31 de maio e 2 de junho de 2019
Das 18h às 21h
Local: Cine Teatro Cuiabá. Av. Pres. Getúlio Vargas, 247, Centro


Fernando Neves é ator, diretor teatral, professor e coreógrafo. Com sólida formação acadêmica e artística, é graduado em Letras pela Faculdade de Letras – Universidade de São Paulo, USP(1975/80). Estudou Teatro Brasileiro com Décio de Almeida Prado (1976/78), Preparação vocal com Maria do Carmo Bauer (1980), Expressão Corporal com Klaus Vianna (1985), Dramaturgia com Mariângela Alves de Lima (1990/91), Preparação Vocal com Eudósia Acuña (1991), Canto e Violão com Gustavo Kurlat e Zero Freitas (1990/91) e estudos do Método Suzuki (1995). Com uma consistente carreira dedicada ao teatro, podemos destacar suas participações como ator em mais de 35 peças em que foi dirigido por nomes como: Márcio Aurélio, Gabriel Villela, Marco Nanini, Maurice Vanneau, Francisco Medeiros, Ednaldo Freire, entre outros.

Público: Acima de 18 anos. Atores, bailarinos, dramaturgos, músicos, iluminadores, cenógrafos e interessados em geral. 30 vagas.
Seleção: Preencher ficha de inscrição com dados, carta de interesse e breve currículo.

Cronograma das inscrições:
Inscrições: 30 de abril a 21 de maio
Aprovados: 23 de maio

 


Introdução ao canto para musicais

O curso tem por objetivo desenvolver e aperfeiçoar seus integrantes a percepção auditiva, a imaginação, a coordenação motora, a expressividade e a percepção espacial, criando as condições para um desempenho musical de qualidade. Do ponto de vista do canto, serão abordadas questões técnicas básicas como apoio diafragmático e eficiência na projeção vocal, visando tanto o canto solista como o canto conjunto. Através de atividades lúdicas, serão desenvolvidos os conceitos básicos musicais e do canto através da “corporalização” dos sons, ou seja, a associação dos sons com os movimentos do corpo. Um repertório musical será proposto para a finalização dos trabalhos do curso.

Orientador: Fernando Grecco

De 24 a 28 de junho de 2019
Segunda a sexta – Das 19h30 às 21h30
Local: Local: Cine Teatro Cuiabá - Av. Pres. Getúlio Vargas, 247 - Centro, Cuiabá - MT, 78005-600


Fernando Grecco é jornalista e regente graduado pela ECA-USP. Formou-se em teatro pela Escola Teatro Macunaíma e é diretor da Cia. Ópera do Mendigo com a qual realizou diversas montagens, entre elas: “Belinda e a Guerra das Quengas”, “A Linguagem das Flores” e “Os Pecados de Miliére”. Como diretor trabalhou nas montagens das óperas “Ácis e Galatea”, “Os Peregrinos de Meka” e “O Elixir do Amor”, além dos espetáculos “A Saga de Clóris”, “O Coro dos Contrários” e “Um Conto de Natal”, os dois últimos realizados no Teatro Municipal de São Paulo. Ministrou cursos de canto na SP Escola de Teatro, os quais resultaram em dois espetáculos: “Liberdade, Liberdade!”, de Millôr Fernandes e Flávio Rangel e “Que este Mundo Vai Virar”, de sua autoria. Em 2012, venceu o prêmio da Secretaria Estadual de Cultura de SP para gravação de disco inédito com o projeto Obi – Somos Todos Negros, baseado em cantos de candomblé e mitologia africana. Desde 1992, é integrante do Coral Paulistano do Teatro Municipal de São Paulo.

Público
 Acima de 18 anos. Atores e interessados em geral. 30 vagas

Seleção
Preencher ficha de inscrição com dados, carta de interesse e breve currículo com um link para vídeo cantando uma música (som e imagem ou só som). Obs.: inscrições sem link serão automaticamente desclassificados.

Cronograma das inscrições
Inscrições: 07 de maio a 07 de junho
Aprovados: 20 de junho 


Corpo, performance e intervenção urbana

O curso tem como proposta a imersão na cidade e suas questões, a partir de um olhar ampliado sobre o meio em que se vive. Propondo ações artísticas que partam de questões latentes e pulsantes que o coletivo traga, a partir da análise de questões que dialoguem com a sociedade em que estão inseridos. Tem como meta a proposição de estratégias poéticas e performativas, utilizando das linguagens da performance e da intervenção urbana, na perspectiva de ampliar, sensibilizar, refletir, questionar e interrogar situações de um determinado contexto histórico e social, buscando uma tomada de posição. Nesses encontros, apresentaremos as linguagens que envolvem o processo artístico (performance, criação compartilhada, intervenção urbana) e debateremos os assuntos que atravessam o trabalho: questões de gênero e sexualidades, negritudes, feminismos, necropolítica, corpos dissidentes, controle, corpo e cidade, subjetividade capitalística entre outros temas urgentes e emergentes que estão nas agendas sociais mais recentes, pensadas a partir dos conceitos de experiência, acontecimento e práticas de [r]existência.

Orientador: Jan Moura
Inscrições: de 2 a 10 de setembro de 2019

De 12/9 a 24/10
Quintas-feiras, das 19h às 22h
Local: Cine Teatro Cuiabá (av. Presidente Getúlio Vargas, 247, Centro)


Jan Moura é mestre e Doutorando em Estudos de Cultura Contemporânea – UFMT. Possui graduação em Comunicação Social pela UFMT (2005). Especializado em Gestão Cultural pelo SENAC-MT. Ator, Performer, Diretor Teatral. Atualmente trabalha em colaboração com outros artistas da cidade. Já foi Gestor Cultural do Sesc Mato Grosso, onde atuou com produção cultural, curadoria de projetos, acompanhamento e análise das ações culturais; e também como Gestor de Comunicação. Atualmente é Coordenador Pedagógico da MT Escola de Teatro, no Curso Superior Tecnológico em Teatro. Coordenador do GT Territórios e Fronteiras, da ABRACE – Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Artes Cênicas. Membro do Grupo de Pesquisa Artes Híbridas: Intersecções, Contaminações e Transversalidades – ECCO-UFMT

Resultado prático: Os encontros resultarão em uma atividade do coletivo Bicha Sound System. Por meio da performance, da festa, e da música, como dispositivo de mobilização e provocação política, os performers irão estabelecer um processo de criação artística que possibilite o contato com outros territórios, outras vivências, outras errâncias.


Todos os direitos reservados - 2018